Terminação Intensiva a Pasto: O que preciso saber?

• Blog

O semi confinamento e a TIP (terminação intensiva a pasto) são estratégias de engorda ou de terminação. Diferente do confinamento convencional onde a dieta (volumoso + concentrado) é toda fornecida no cocho, 100% do que o animal come é via cocho, na terminação a pasto fornecemos o concentrado (ração) para os animais e o volumoso ele busca no pasto.

Por isso a forragem é de grande importância nesse sistema, além dela ser a fonte de fibra para ruminação ela também vai compor parte do que é ingerido pelo animal e funciona como um “norte” para saber a quantidade de ração que deve ser fornecida.

Partindo disso podemos fazer uma analogia com o confinamento, quando temos uma silagem de milho de ótima qualidade usamos menos concentrado do que comparado a uma dieta com bagaço de cana que não tem nutrientes nenhum então precisamos aumentar significativamente a quantidade de concentrado da dieta.

Com o pasto acontece da mesma forma, se temos uma forragem no período das águas, ou um pasto bem manejado, adubado podemos trabalhar com níveis menores de suplementação algo entorno de 1,5% do PV do animal. Já se temos um pasto de seca, uma forragem passada de baixo valor nutricional, já temos que partir para 1,8 – 2% do PV.

Qual a vantagem?

A principal vantagem é reduzir o tempo de abate dos animais, elevar o peso e a qualidade da carcaça (dar um melhor acabamento).

Dificuldade

Algumas dificuldades podem ser encontradas, como por exemplo a mão de obra. Os animais precisam ser tratados todos os dias, preferencialmente 2 vezes ao dia e devemos tomar cuidado com as chuvas, pois se molhar perde a ração que foi servida no cocho.

O que mais podemos observar?

Podemos destacar a importância da oferta de pasto, é necessário fazer um planejamento bem assertivo de oferta de forragem para não faltar, que pode levar a distúrbios metabólicos.

Importante também fazer um acompanhamento de escore de fezes e comportamento de alimentação dos animais para saber se está tudo caminhando bem. Fezes muito moles, com bolha e muco são indicativos de acidose ruminal e consumo depravado de ração pode ser um indicativo de falta de forragem que pode levar a distúrbios metabólicos. Você pode conferir um material sobre escore fecal aqui no site: http://adames.com.br/escore-de-fezes-avaliando-desempenho-e-saude-ruminal/

Água limpa de qualidade também é imprescindível para melhorar o resultado da terminação, quando o animal ingere grandes quantidades de material altamente fermentável (ração) a temperatura do rúmen sobe muito, então ele precisa tomar água para abaixar a temperatura e assim melhorar o ambiente ruminal só assim ele consegue voltar a comer.
Se o bebedouro estiver sujo o animal não vai beber água e por consequência vai diminuir o consumo de ração, o que leva a uma queda no desempenho esperado.

Aqui na nossa linha de produtos você pode encontrar produtos formulados especialmente para esse sistema de produção, como o Adames Confina a Pasto. Entre em contato para saber mais!